terça-feira, dezembro 08, 2015

ROCAMBOLESCO! Le Chevalier e a Exposição Universal! [Book Review]




SIM, ATÉ QUE ENFIM! O primeiro review de livro E também de material da AVEC Editora, parceira deste humilde blog em evolução constante. E eu queria MUITO fazer esse review de forma a fazer vocês se interessarem por este livro. Afinal, foi ele que me convenceu a pedir a parceria de uma editora pela primeira vez desde que criei o nobumami...e acho que vou conseguir fazer isso, pra dar mais um passo nessa nova fase. Vamos lá!


Cavaleiro Sem Nome


Primeiro de tudo, uma sinopse básica: no século 19, no ano de 1867, uma Paris mais ou menos como a da nossa realidade (já explico porquê) está fervilhando com os preparativos da Exposição Universal, um evento de tecnologia que ajudaria a consolidar a posição de poder do Império Francês no mundo. Só que o assassinato de um agente do Bureau (a C.I.A. do Império) a poucos dias do início da Exposição deixa a suspeita de que não só o evento, mas a segurança do próprio Imperador Napoleão III em risco...e é aí que entra em ação o nosso herói, que nem um nome tem, mas é conhecido como "o Cavaleiro", ou, em francês, Le Chevalier!

Nosso herói sem nome ao menos não vai ter que encarar esse misterioso inimigo sozinho; ela conta com a ajuda de seu parceiro , conhecido como o Persa! Essa dupla passará por altos perigos, dignos dos tempos bons da Sessão da Tarde em que se passavam filmes de aventura em vez de filmecos de bichinhos e entulho da Fox...OK, muitos de vocês nem viram esses tempos. Mas eram tempos bons de se ligar a TV...

E já vou citar o primeiro mérito de Le Chevalier: é uma leitura ágil, sem complicações. É o tipo de livro que eu mesmo indicaria pra dar de presente pra gente que não é ainda muito acostumada com a leitura. O texto é ágil e não faz você ficar "travado" em algum ponto, o que é perfeito pra uma história de aventura. Mesmo com a história se passando em plena Era Vitoriana, o texto não é travado com termos dessa era que não são usados hoje. Foi uma ótima decisão que deixa o ritmo do livro bem dinâmico e mantém o ritmo de aventura constante.


Fazendo seu nome sem revelar um nome não é pra poucos!

Outro trunfo do livro é se situar de uma forma bem balanceada no gênero Steampunk, sem carência ou exagero dos elementos. Um ótimo caso disso são os "drozdes", pequenos robôs...digo, AUTÔMATOS, geralmente em formas animais, que retém traços da personalidade de seus donos. São também um indicativo de status, pois só gente abonada tem um desses (é tipo como ter um Playstation 4, hoje em dia). É algo que dá um pouco mais de carisma e personalidade ao mundo em si. E falando em carisma...



Pois gordinhos espadachins não são pouca coisa também!


É regra de uma boa história de aventura: um bom herói tem sempre um parceiro de aventuras pra enaltecer e relatar seus feitos, assim como que pra xingar o herói quando ele faz algo realmente estúpido mas que salva o couro deles no fim das contas. E assim como o Doutor tem seus companions, Batman tem o Robin e Edward Elric tem o Alphonse, Le Chevalier tem o Persa, que é de longe o personagem mais legal do livro.

Vejam bem: Le Chevalier é um espião sem nome. Seu passado é envolto em mistérios. Não se sabe muita coisa dele, a não ser que ele cometeu um erro grave. Convenhamos que não é algo fácil simpatizar com um personagem do qual você não sabe nada, certo? É aí que o Persa entra. Ele serve como a "escada" do LC, compensando a dificuldade que eu tive em simpatizar inicialmente com o protagonista. E acho que é consenso pra quem já leu que o Persa é o personagem mais carismático do livro, pois ele mesmo não sendo o protagonista, nos ajuda a gostar do LC em si. As tiradas com ele me fizeram segurar o riso dentro do ônibus mais de uma vez.



Tem esse mapa no livro também.
E o trabalho de pesquisa do autor também não foi pouca coisa; A. Z. Cordenonsi pesquisou a fundo e criou uma Paris Steampunk com muitas semelhanças com a Paris histórica, mas com seu próprio toque pessoal, deixando a bem familiar e ao mesmo tempo única. A construção cuidadosa do mundo, e não só isso, a capacidade de não enfiar toneladas de detalhes dele pela goela do leitor, servindo apenas o necessário pro desenrolar da história, é outro ponto que ajuda no dinamismo da leitura. E um livro que você consegue ler assim conta muito pra mim, pois é mais fácil de indicar pra alguém.


Finalizando (com um Book Trailer)...



Enfim, Le Chevalier e a Exposição Universal é uma ótima história de aventura Steampunk. Eu diria que é uma boa porta de entrada pro gênero especialmente por ser algo simples de se ler, com um ritmo agradável. E serve de presente pra gente que não é tão acostumada com leitura começar a cultivar o hábito. Eu me abstive de contar mais da história, pois acho que muita gente aqui não gosta de spoilers, certo? Mesmo assim, eu acho que já devo ter dado ótimas razões pra vocês darem uma chance a este título da AVEC Editora. Especialmente porquê essa foi só a PRIMEIRA aventura de Le Chevalier. O que será que virá por aí no futuro..?

E sendo o primeiro review de obras publicadas pela AVEC Editora, já saibam que este também não será o último! Logo mais vem mais...


E vale o lembrete de que dar também uma curtida na Página do nobumami no Facebook ajuda a acabar com a melancolia de um CUEIO Púrpura, fazendo ele escrever mais e mais pra vocês, OK? ;)

Nenhum comentário: