segunda-feira, outubro 20, 2014

Final Fantasy VI: Vinte Anos do ÁPICE da Série!



Foram dois games que me definiram como um gamer: o primeiro, Street Fighter 2. E o segundo, Final Fantasy 6. Representando os meus dois gêneros preferidos de games: Fighting e RPG. E este último faz hoje vinte anos de seu lançamento. FF VI foi um marco para a Squaresoft, sendo um ponto de partida pra outros games originais e criativos ainda no Super Nintendo como Secret of Mana, sua sequência Seiken Densetsu 3 e o também clássico Chrono Trigger. Uma pena que a atual Square Enix seja tão coxinha hoje em dia...

Mas em si FF VI já era um game magistral, com um cast de quatorze personagens jogáveis, o maior de TODA a franquia até agora (a menos que FF XV consiga bater essa marca) dava muita variedade ao modo de jogar. E esses personagens em sua maioria eram realmente muito carismáticos e humanos num nível incomum para RPGs da época, e de alguns atuais também, diga-se de passagem.

Mas de nada adiantava uma tropa de personagens sem um plano de fundo convincente. A busca por um significado para a vida e como a busca para a resposta dessa pergunta é diferente para cada um pode ser definido como o tema geral de FF VI. A dualidade de um mundo que está em transição da Idade Média para a Moderna, com o avanço da tecnologia e o advento da indústria e que ainda passa por transformações muito mais drásticas em um período curto de tempo também é algo que trás tanto motivações quanto obstáculos para os personagens.


Um ponto a se notar é que, apesar da Terra ser a representante do game em Dissidia: Final Fantasy, NÃO HÁ um protagonista específico em FF VI; todos tem sua chance de brilhar na trama.  Nisso, com tanta variedade de pontos de vista, e sem um foco claro em um só personagem, FF VI até hoje é uma das melhores experiências em se conciliar um grande número de personagens e fazer com que todos tenham seu papel ao desenvolver esse tema central em especial.

Ah, eu mencionei que a OST de FF VI dá uma surra de pau mole em FF VII? As versões arranged e fan-made são incríveis! Eis alguns dos meus exemplos favoritos:

Aria de Mezzo Carattere, o famoso "tema da Ópera", que muitos vão notar que o arranjo provavelmente serviu de base pro tema da Aerith em FF VII (curiosamente um dos poucos temas memoráveis do sétimo game...), aqui na versão do álbum Final Fantasy VI: Grand Finale.

 


Este remix de The Fierce Battle, tema do chefe Atma, também faz jus ao original.

A versão original de Dancing Mad, o tema da batalha final. Pra vocês verem como a música é poderosa mesmo no Super Nintendo:


Mais do poderio sonoro do 16-bits da Nintendo? Tomem e apreciem então o segundo tema da airship, Searching for Friends:

E pra fechar, uma do Hyadain (sim, AQUELE mesmo); Mash ga Rappu aka Sabin Raps, que é isso mesmo que diz no nome, um rap que conta a história dos irmãos Figaro.


Enfim, Final Fantasy VI é um daqueles games clássicos, em que você não tem sequer envergadura pra dizer que é fã da franquia se nunca o terminou ao menos uma vez. Além do Super Nintendo, ele saiu pra PS1, Game Boy Advance (recomendada) Virtual Console e foi recentemente portado também pra iOS e Android. Então jogue duma vez, YOUR SON OF A SUBMARINER! :3




3 comentários:

Natália Maria disse...

Meus conhecimentos de Final Fantasy estão limitados ao filme Adventure Children, infelizmente. Não que eu não tenha tentado jogar algum jogo da franquia. É que eu sou fácil de largar essas coisas. Rsrsrsrs


Sempre vejo as pessoas comentarem sobre FF VII e você fez justamente o posto, não comentar. Gostei, deu para conhecer um pouco mais da coisa... rsrsrsrs


Até mais

Manoel Nogueira disse...

Parabéns pela matéria. É triste que os 20 anos desse jogo maravilhoso não tenham sido lembrados por muitos sites... Claro que se fosse o e Cloud e Cia seria diferente.

Só posso dizer que o único defeito desse game é o desequilíbrio de sua dificuldade. Os inimigos não estão preparados para segurar o tranco de coisas como Offering + Gengi Glove, mas tirando isso, ele é um monstro!

Smolders disse...

Final Fantasy VI é meu jogo favorito. É a obra máxima em RPGs da Square dos bons e espetaculares tempos. É difícil descrever quantas qualidades tem este game.

Uma coisa que me incomoda é que os fãs de FF desmerecem um FF, para engrandecer outro, não necessariamente é preciso FFVII ser ruim para o FFVI ser bom e vice-versa.

Personagens femininas com um protagonismo nunca antes visto em rpgs, uma trilha sonora que é difícil de ser batida nos games, um vilão FDP! tudo isso e muito mais compõe essa obra-prima da Square quando realmente se esforçava para nos trazer os melhores games possíveis.

Enfim, acho que só faltou uma menção honrosa a música The Veldt/Wild West, que realmente quando a escutei no game, percebi o quão superior era a qualidade sonora do FFVI em relação ao FFVII. É de arrepiar aqueles tambores...