segunda-feira, junho 09, 2014

Buon Compleanno, Paperino!


Se vocês bem se lembram, eu já tinha dito antes que o Donald é o meu personagem de quadrinhos favorito EVER! E isso inclui QUALQUER tipo de quadrinho. E hoje ele completa 80 anos. Foi em 9 de junho de 1934 que ele apareceu pela primeira vez no curta "The Little Wise Hen"(A Galinha Sábia). A partir daí o resto é consequência. Vale notar que ele estrelou mais curtas que o próprio Mickey...

...o que pra fins deste post, já basta saber. Eu vou aqui abordar o que me importa, que foram os quadrinhos, em especial os italianos. Foram eles que me fizeram pegar o gosto não só pela leitura, mas me ensinaram a gostar de ver vários tipos de abordagens de um personagem e seu universo.

Que fique BEM claro: não é que eu "não goste" do material de Carl Barks; muito pelo contrário! Ele e Don Rosa definiram todo o universo dos Patos, onde se situa Patópolis e toda a família, amigos e inimigos do nosso chapa Fauntleroy, e muitas das melhores histórias dele estão entre as minhas preferidas. Mas a parte de me ensinar a gostar de como universos podem ganhar novas visões e pontos de vista me foi ensinado mesmo pelo material da Disney Itália.


Uma coisa que difere o Paperino (seu nome na Itália) do Donald dos curta-metragens é ele ser um pouco menos estressado. E um tanto menos loser, por tabela. Mas ele ainda segue sendo o Assessor para Assuntos Aleatórios do Tio Patinhas, e se ferra ocasionalmente. Como é o padrão geral. Só que os italianos inovaram por, ainda respeitando as bases, dar seu próprio toque a esses personagens clássicos, mas SEMPRE mantendo o respeito. Como o Mickey em si é blindado pela Matriz (afinal, o rato pode ser tido como o próprio "Seu Waldisney" em pessoa) e eles não vêem com bons olhos muitas mudanças no status quo dele, os artistas da Terra da Bota tem a chance de ousar mais com os patos.

E querem melhor jeito de inovação que o Superpato?


Na sua concepção original, Elisa Penna, Guido Martina e Giovan Battista Carpi criaram o alter-ego do Donald como um meio do pato buscar a revanche contra quem o pentelhava, como o Tio e o mala do Gastão (daí o título original de "Diabólico Vingador"). Mas com o tempo ele se tornou um super-herói em tempo integral nos moldes do Bátima. Claro que tem o fodástico Paperinik New Advetures com histórias de  aventura e Sci-Fi criativas num nível quase de um Doctor Who, mas disso falamos outro dia...

Além disso, há outra variante heróica do pato. Se é que agentes secretos se qualificam como tal...


O universo de DonaldDuplo (DoubleDuck no original) infere que o pato trabalhou para a misteriosa "Agência" por cerca de três dias, teve a memória apagada e voltou pra sua vida comum. Até que a Agência o procura de novo...aqui temos ele agindo como se fosse um misto de Jason Bourne com 007, e tendo que levar uma vida dupla muito mais complicada de conduzir do que no(s) universo(s) do Superpato, inclusive tendo que achar meios de enrolar a Margarida pra cumprir suas missões...se bem que na minha opinião, a Margarida merece mesmo um par de guampas!

Outra coisa que sempre admirei muito nos quadrinhos italianos sempre foi o traço arrojado, em muito lembrando (e como vi anos depois, superando) o estilo de muitos mangás. Um dos principais responsáveis por isso foi Giorgio Cavazzano, que praticamente definiu esse estilo como a base seguida por muitos artistas de lá. Claro, recentemente apareceram alguns artistas com traços tão exagerados que parecem mais inspirados é no Salvador Dali. Mas o estilo marcado por Cavazzano e outros mestres ainda é o padrão geral por lá. Ainda bem , pois alguns poucos limites DEVEM ser mantidos...

E não se esqueçam de que não são só os italianos que podem caprichar com Donald e turma...


Ainda mais que Kingdom Hearts é uma das poucas coisas que ainda presta na Square Enix. E sabiam que, ao invés do Sora, o pato que era pra ser o protagonista? A Matriz não deixou e aí o japa dos zíppers criou o guri da Keyblade... 


Enfim, é um post basicamente pra esboçar de leve o quanto esse pato bolado teve influência na minha infância. Eu aprendi a ler antes mesmo do jardim de infância, e provavelmente a minha cartilha foi meia dúzia de gibis dele. Ele é um marco importante na minha criação, e que me ensinou que mesmo que passemos a vida nos ferrando, sempre tem algo bom nos aguardando e temos quem nos ame, seja lá quem nós formos. (E que também podemos ser muito mais foda agindo secretamente! :3)

Por isso, parabéns, Donald! E que o bolo desta vez não acabe sendo jogado na sua cara! QUAC!

Algumas coisinhas extras:

Cinco Coisas Incríveis Criadas pelo Donald (Cracked)

Todos os Games Estrelados pelo Donald (Hardcore Gaming 101) 

Der Fuehrer's Face (sim, o desenho banido!)