quinta-feira, outubro 31, 2013

Halloween 2013: Um QUASE sem Pauta. QUASE!


É, QUASE sem pauta específica, mas eu tinha que dar um jeito, não? E achei uma. Acabei de ver no post de Halloween do ano passado que eu tinha dito exatamente "Mas...uma Edição Definitiva de Rayearth no ano que vem também cairia muito, mas MUITO bem..." e vejam só, a JBC soltou mesmo Rayearth por aqui de novo!

OK, não é lá um baita assunto pra se tratar, mas é curioso que isso tenha MESMO acontecido. Sorte nossa. Mas "ter sorte" é algo que eu não posso dizer de um certo "peLancudo" que retruquei numa postagem do blog da Su no ano retrasado. Dito e feito, pois grande parte da "cruzada anti-moe" foi devastada (não é um problema NOSSO, afinal) e o peLancudo agora amarga o fracasso, pra deixar de ser otário. E caloteiro. Que bom que boas iniciativas em se tratando de mangá nacional não dependeram de um sujeito desses. A última coisa que gente talentosa precisa é de pentelhos oportunistas mesmo.

Eu ando meio cansado por trabalho e outras coisas, então esse post de Halloween não vai trazer nada de muito novo, como já deu pra ver. Mas neste fim de semana começam os reviews semanais em todas as semanas de Kamen Rider Gaim!

SIM, EU VOU FAZER REVIEWS SEMANAIS DE ALGUMA COISA!

E sabem por quê eu vou fazer isso? PORQUÊ A MAIORIA DOS MOCORONGOS NÃO TÁ FALANDO NADA DUMA SÉRIE ESCRITA TOTALMENTE PELO GEN FUCKING UROBUCHI E ALGUÉM PRECISA FAZER ISSO! É SEMPRE EU QUE RESOLVO ESSAS PRESEPADAS, DIACHO!

E falando a verdade, GAIM TÁ UMA SÉRIE FODA PRA CARALHO! Já deu pra identificar umas doze tropes de Madoka e Fate/Zero em quatro episódios. NÃO É UMA SÉRIE DE KAMEN RIDER CONVENCIONAL, PONTO. Já meio que imagino o que o Urobuchi tá armando também. Mas claro, precisou a Charlotte "tomar providências" pra sacarem o potencial de Madoka. Então EU vou tomar essas providências fazendo esses reviews. Como nesta semana não rola episódio, eu vou resumir durante a próxima porquê vocês tem que acompanhar Gaim junto comigo.

Mas é Halloween. Não é dia de samurais, e sim de magos!


E puta merda, esse Sho Kiryuin do Golden Bomber é um trollão zueiro mesmo...mas que PORRA! 

Acho que isso serve pro Halloween deste ano, né? :3

sexta-feira, outubro 04, 2013

Corrente de Reviews 2013 - Binbou Shimai Monogatari: Amor Fraterno é Poder!


OK, mais um post da Corrente de Reviews, e como o Maioral aqui já tinha entrado na brincadeira ano passado, não tinha razão de ficar de fora dessa. A coisa curiosa é que eu tinha terminado de ver a minha indicação menos de uma semana antes de recebê-la...pra variar, eu já estava preparado, sem mesmo saber. Mais uma vez, já peguei um anime que já tinha visto. Pelo menos foi um bom...desta vez.

No caso, o que o chapa, irmão e parceiro de longa data Carlírio, do NETOIN! me mandou pra ver foi o simples, básico e simpático: Binbou Shimai Monogatari ou simplesmente "Conto das Pobres Irmãs". 

Ou como eu gosto de chamar, Conto das Maninhas Fudidas...   


Eis as irmãs Yamada, Kyou (a mais velha, com 15 anos) e Asu (com 9), que moram sozinhas num apartamento fudido. Sem a mãe, que morreu pouco tempo depois que Asu nasceu, e sem o pai, que desapareceu pra fugir de agiotas e dívidas de jogo, as duas são forçadas a se virar. Mas, ao contrário de outros fudidos como um certo mordomo ou um certo viajante samaritano, elas tem uma a outra pra lhes dar forças de nunca desanimar. E realmente, pra quem tem uma vida tão cheia de responsabilidades tão duras assim pra crianças, elas não desanimam e estão quase sempre sorrindo, já que tem uma à outra.

Bem, se ligarmos o botão da "suspensão da descrença", Binbou Shinmai Monogatari é um anime bem na média. Convenhamos: na Tokyo de agora, que é o exato oposto do Brasil em se tratando de serviços públicos, é EXTREMAMENTE IMPROVÁVEL que um conselho tutelar ou o que tiver de mais parecido com isso por lá não fizesse nada quanto a duas crianças abandonadas tendo que morar e se sustentar sozinhas. Mas, considerando que já vi antes uma outra menina de 9 anos e ainda por cima aleijada também morando sozinha, a suspensão de descrença é um pré-requisito pra ficção como um todo...



Mas voltando ao que interessa: pra que tenham algo pra por no estômago e pra pagar por um teto pra ter aonde morar, Kyou consegue algum dinheiro fazendo bico de entregadora de jornal, sem parar com os estudos. Asu ajuda cuidando da cozinha e da limpeza quando não está estudando. Volta e meia elas recebem alguma ajuda dos lojistas do distrito comercial. Mesmo o senhorio Genzou, um velho turrão com cara de bunda que não deixa de cobrar o aluguel das meninas um mês que seja, as ajuda sem que elas notem facilmente. E não há quem não simpatize com as irmãs Yamada mesmo...desde a vizinha suspeita sempre com óculos escuros, o bishounen cantor de boate e a pirralha rica que compete com Asu atrás de descontos e saldos nos mercadinhos. Não tem quem desgoste delas. 


O que numa primeira olhada poderia ser uma premissa pra um dramalhão mexicano sem graça se torna uma história sobre como o amor fraterno pode ser forte independente da dificuldade. A lição aqui é de como qualquer adversidade pode ser contornada se você tiver alguém em quem possa confiar e também retribuir o mesmo nível de confiança. E a história das irmãs Yamada passa isso, ainda que faça você talvez precisar de tomar algumas doses cavalares de insulina, de tão doces que elas são.



O anime, produzido pela Toei teve 10 episódios e rolou na Tv Asahi em 2006. Não tem lá uma produção muito elaborada, mas pra uma adaptação de mangá seinen, já serve e bem ao propósito. Mas este é um daqueles casos em que o mangá original é mais interessante. Publicado na Monthly Sunday Gene-X (a mesma revista de Black Lagoon, Kamisama Dolls e Shin Angyo Onshi) e finalizado em 4 volumes, ele vai muito além do que foi o anime, mostrando desde alguns pequenos detalhes como de quem é aquele Welsh Corgi que aparece na abertura, até coisas realmente mais relevantes, como a tia materna de Kyou e Asu, além de revelar a verdadeira razão do sumiço do pai delas... 



Finalizando: Não há muito o que se comentar deste anime e mangá. É bom, mas não precisa de muitas explicações. Simplesmente isso. A graça está nas iterações entre Kyou e Asu, e ver como irmãs podem ser tão unidas e se querer tão bem. É algo até certo ponto realista, tirando o detalhe que citei, claro.

Mais uma prova de que não se precisa de muito pra um anime ser apreciável. Nem profundidade, nem ser raso. Basta que ele conte bem uma história, mesmo sendo "apenas" uma história de vida.


Agora é a vez da MINHA indicação. E ao mesmo tempo, uns tapas de avaiana molhada em certas bundas. Sem problemas, o árbitro (no caso o Diogo Prado) considerou o lance válido. Já explico...

Tinha um outro blog no lugar do meu indicado, que pulou fora. Meio de última hora, o Prado pediu pra eu indicar outro anime para o indicado que vinha depois, já que ele já tinha visto a minha indicação antes.

Qual não foi a minha surpresa que eu tinha que indicar algo para o dono do Another Warehouse?

Pra quem não sabe, eu não tenho NENHUM respeito nem para com o Ketsura, nem pra muitos dos miguxos dele. De modo geral, eles estão entre os primeiros que começaram uma vertente extremamente nociva de blogs sobre anime que posam de cults e intelectuais, o clássico "pseudo-cult". Por causa da rixa com ele eu me vi forçado até a encerrar uma boa amizade, pelo bem da amiga em questão. E me arrependo disso até hoje, como comentei esses dias... 

Então, estão de acordo que eu não vou com a cara do Ketsura por várias razões, certo? Que eu também tenho culpa no cartório de não me fazer aparecer mais pra botar o contra-ponto não só a a ele mas a muitos outros que fazem coisas que não deveriam fazer na "otakusfera", correto? Que sendo eu do jeito que sou iria achar um bom meio de revanche contra ele indicando uma coisa do nível Boku no Pico pra baixo, correto?


Errado.


Antes de tudo, eu sou um Verdadeiro Cavalheiro digno de Respeito! Sei muito bem que um dos problemas de grande parte da geração de blogueiros do nosso nicho  otaku (eu sei que tento diversificar do mesmo, mas primariamente faço parte do nicho) é querer ser "especialista" sem estudar esse nicho a fundo. Posar de conhecedor de um assunto quando você desconhece as raízes da origem daquele campo.

 Como um verdadeiro gênio (sei é arrogância afirmar isso, mas sabemos que é verdade e é uma boa pra dar mais um chinelaço nos dedos) tenho que afirmar: A gurizada de agora não sabe quais foram os clássicos que inspiraram os clássicos deles. Não conhece os Titãs que foram a base para os Deuses que idolatram.

E essa foi uma ótima chance de lhes tentar dar uma lição que preste mais do que uma sova de avaiana nos gomos do toba. Talvez melhorasse se eles conhecessem alguma coisa clássica do passado. Nada de remakes ou coisas muito recentes. Talvez algo realmente FODA...

Pra isso, eu não deveria indicar algo "honrado". Mas algo...no estilo dos Piratas!


A minha indicação é Waga Seishun no Arcadia - Arcádia da Minha Juventude. É uma das obras principais do universo Sci-Fi space opera criado pelo mestre Leiji Matsumoto. E que consolidou de vez o mito do grande Pirata Espacial, Capitão Harlock. É uma obra e personagem que inspirou gerações de mangaká, mas que duvido que tenha sido citado ou mesmo conhecido por grande parte dos meus colegas da blogosfera otaku. E isso que muitos dos pais (e até os avós, em alguns casos) deles cresceram assistindo Uchuu Senkan Yamato/Patrulha Estelar, do mesmo autor.

Eu mesmo pretendia fazer um review sobre esse filme, mas achei que seria um bom teste/lição pro Ketsura. (e isso também me deixa livre pro meu projeto envolvendo a Tatsunoko) Sinceramente, eu não sei se ele vai entender o contexto e a importância desse filme para a época que ele foi feito. Não sei se o guri conseguiu ver até o final, já que o ritmo é bem diferente dos animes de agora. Pra ser sincero, duvido até que ele tenha feito a resenha. Como dito, não confio NADA nele, nem nas capacidades dele.

 Leiji Matsumoto está naquele mesmo patamar divino que Hayao Miyazaki ou Shotarô Ishinomori. Sua obra é uma das mais seminais para o mangá moderno, visto que inspirou mais de uma geração. A minha preocupação é: ele vai conseguir falar do tema e do autor da forma e respeito que ele merece?

Seja lá qual for o resultado, nós todos ganhamos da mesma forma. Passem lá pra ver o resultado, certo?

OK, passei a Corrente adiante. Consegue levantar ela, Dudu? :3



 Ah, sim: o próximo post do nobumami será rico em vitamina C. Varemos se alguém adivinha...:3