segunda-feira, dezembro 31, 2012

2013: Vai-se o Dragão...e a Serpente Está Vindo!


Pois é, o mundo não acabou, mas o ano sim. E 2012 foi o ano que menos postei aqui...não que isso seja lá muito culpa minha, mas é, ainda que seja um pouco...

Mas tive outros assuntos pra me ocupar, fazer o quê, oras. Pelo menos segui em plena atividade no Twitter. Não tenho do que me queixar muito deste ano, já que algumas coisas no plano pessoal deram certo, ainda que não tanto quanto eu queria, porém melhores do que antes. Alguns projetos como o Clamp Day R2 também foram bem na média (mas ainda sinto que, se eu pudesse ter dado um pouco mais de tempo a ele, ele seria ainda maior e melhor). E algumas pilantragens desmontadas com alguns Rider Kicks no meio das fuças; deixei muitos FDPs com o c* assado...e eles ainda vão levar mais ferro de novo!

O meu problema mesmo foi a falta de atenção ao nobumami. Eu tenho conteúdo praticamente pronto pra postar desde o ano passado, e não consegui dar conta disso. Agora eu quero ver se finalmente consigo organizar as coisas e voltar a postar com regularidade. Como eu disse, postar review de anime não paga minhas contas, e sequer é profissão. Tem gente que não se ligou que isso não lhes dá certificado de especialista em p*rra nenhuma nem os faz "intelectuais" nem nada. Não é a maioria dos blogueiros (sem generalizar, pois tem muita gente boa por aí), mas eu não sou baixo como essa gentalha. 

 Mas dá pra conciliar, só me faltou vontade mesmo. O nobumami é um hit "cult" na blogosfera, por assim dizer. Ou melhor, isso é fato. Eu prefiro mesmo que views não sejam a minha motivação de postar, mas sim a vontade de partilhar as minhas idéias e pensamentos. E essa é a única motivação justa de um blogueiro que mereça algum tipo de respeito. Sim, eu sei que as coisas vão ter que tomar outra direção agora que eu resolvi assumir a minha posição no estado das coisas. Muita gente vai adorar e um punhado vai odiar, mas que se foda a minoria. Chega de fugir dos deveres,


 E 2013 vai ser o ano da Serpente, que por coincidência, é o meu signo. Talvez signifique que eu vou estar ainda mais foda do que sou, é?

Quando um ano acaba, uma mente clara e focada fará as reflexões...


E quando o novo ano chega, uma alma ardente e forte buscará a nova força!



E logo postarei mais alguns Ensaios-S. Sim, eu falo daqueles tratados gigantes e cheios de informação interessante que nem o da Madoka, lembram?



Pois bem, saiam desse PC e vão curtir o Ano Novo, diacho! Allons-y!






terça-feira, dezembro 25, 2012

Post de Natal '12: Reflexões e uma Promessa...


Não mudo minha opinião: NATAL É UM C*. Mas tem seus lados bons, apesar dos maus. Admito que tenho uma razão BEM pessoal pra não gostar da data. Mas deixa pra lá.

O que importa é que muita gente deve ter notado que eu vim postando bem menos ultimamente. E não é por falta de assunto; tenho umas 20 pautas pra tratar. Como sempre disse, o nobumami não é como esses blogzinhos de anime que fazem análise de temporada e se fazem de intelectuais. Pra começo de conversa eu sempre deixei bem claro que o nobumami NÃO É um blog especializado em animes, mas em cultura pop como um todo, ainda que o foco seja no oriente. Não fiz o nobumami pra querer parecer AINDA MAIS gênio do que sou (e eu NÃO GOSTO de ser um, mas me fazer de humilde seria mais falta de sinceridade), mas apenas pra falar de coisas legais desse meio. Bem na linha do Blog do Amer, por exemplo.

Tem gente que merece respeito na "Otakusfera", como o Dih do Chuva de Nanquim, o Carlírio do Netoin, Darko & cia do JCast, Mazaki e Secchan do KAS, a Mara do Mais de Oito Mil...esses são bons exemplos de gente que presta nessa "Otakusfera", e tem mais alguns que não citei. Mas obviamente, tem um bando de FDP que quer mais é views pra inflar seus egos. Querem se sentir "alguém", ser "importante" ou ser "foda".

Essa pirralhada tem mais é que crescer. E levar muito soco no meio da cara.

Sim, CERTOS indivíduos são muito mais retardados do que os otakinhos de evento. Sabem, lá pelos idos de 1995, o ano que Evangelion passou na TV japa, a preocupação do pequeno nicho de fãs de anime aqui queria a expansão da base. Em suma, os primeiros eventos tinham a meta de divulgar e trazer mais gente pra gostar do mesmo passatempo que nós. Todo que queríamos era gente com quem discutir a respeito de tal anime ou mangá. Nada muito diferente do pessoal que curtia comics ou seriados.

E passados 17 anos, o que vemos? Uma autoproclamada "elite" querendo o oposto. Querendo impor a SUA opinião como a "correta" e relegando quem gosta do que eles não gostam a "lixo". Bem, tiração de sarro da piazada nova é algo que a Mara (e APENAS A MARA) consegue fazer bem. Mas agora querer posar de fodinha só por gostar de algo que pouca gente conhece é o fim da várzea. É como se um cara que leu  toda a obra de Ray Bradbury se achasse "superior" a um fã de Star Trek ou Star Wars. Não rola.

O que eu acho é que essa "Otakusfera" como um todo tem que tomar jeito, nem que seja na base da porrada. Decidi que vou, agora em 2013 quando completo 35 anos, tomar algumas atitudes. Assumir meu dever como veterano, ou melhor, "senpai" dessa piazada e tomar uma postura mais ofensiva pra dar um sossego nessa galhofagem que é a "imprensa especializada-pff". Não vou comentar por hora do que se trata, mas sei que MUITA gente vai me dar suporte nisso. E se tenho o apoio desse pessoal, a vitória em nome dessa causa é 101% certa.

Então, nesse desabafo, uma promessa é o meu presente para vocês: eu vou fazer um esforço pra botar ordem nesse pardieiro. E como tem uma porrada de gente boa do meu lado, não terá nada ou ninguém que se meta no meu caminho sem ser atropelado!

E não dá pra esquecer que este AINDA é um post natalino, né...

 

E vejamos o que farei antes do ano acabar...uma reforminha cairia bem, acho...^^



segunda-feira, dezembro 17, 2012

Mega Man: 25 Anos do Blue Bomber!


Pra começo de conversa, passem na Capcom-Unity e peguem o Street Fighter X Mega Man, totalmente DE GRAÇA!

Well, eu tenho que confessar que só fui jogar um game do Mega Man Clássico bem depois, pois não tive um Nintendinho 8-bits. Minha porta de entrada foi no Super Nintendo com a série X, minha segunda favorita depois da quadrilogia Zero. Mas no fim das contas fiquei fã da franquia toda. Sim, e isso inclui o StarForce também!

Putz, na boa...eu PRECISO MESMO descrever o TEH FUCKING MEGA MAN pra vocês? Esse guri é O ícone maior da Capcom! Ele é tão foda quanto o Mario, o Pac Man e o Soni...nah, este aqui não é mais foda faz eras. Chupem, Seguistas!

Nos últimos tempos, ele vem passando por poucas e boas. A Capcom não vem tratando o Guri de Titânio com o respeito merecido faz eras. Isso culminou em coisas bem chatas como a saída do Keiji Inafune (um dos últimos caras bons que tinha lá, quando o Ono sair, fudeu de vez) da firma, e o cancelamento do Megaman Legends 3. Mas quem sabe neste ano eles tomam vergonha na cara e param de avacalhar esse personagem tão querido de todo gamer...

Considerando o porrilhão de jogos que já tivemos com ele e as séries paralelas...ainda não é o bastante, queremos mais games dele... mas eu dispenso aquele Rockman XOver (leia-se Decade)...

Pra fechar, um punhado de boa música...









 

E não dava pra deixar esta de fora:


Que mais posso dizer? Feliz aniversário, Mega Man! 


LUTE, MEGA MAN! PELA PAZ DURADOURA!!!

(...e vale notar que o MEU aniversário é no mesmo dia, mês que vem^^)

domingo, novembro 11, 2012

Ensaios-S: Chobits, Ficção Cientifica à Moda do Clamp!


É, eu fui um dos caras que bolou essa bagaça. E agora é a minha vez de entrar com um assunto! Mas, mesmo sendo um dos posts pertencentes ao #ClampDayR2, isso não quer dizer que vou pegar leve. O texto a seguir é bem extenso e vai falar de uma porrada de coisa que analisei sobre esse mangá. Pode ser que alguns fiquem perdidos e pelo menos UM indivíduo específico vai ficar possesso da vida comigo, mas o negócio é ler na manha. E lembrem-se que, como sempre, eu estou expondo as MINHAS conclusões, o que não quer dizer, em hipótese alguma, elas são as Tábuas dos Mandamentos. Leiam, ponderem a respeito e tenham as suas próprias opiniões a respeito, OK?

Bem, pra começar, por qual razão escolhi falar de Chobits? Primeiro de tudo, o mangá foi publicado no Brasil pela JBC por completo, e o anime já é um tanto conhecido (ainda que não tenha passado oficialmente aqui). E, em minha humilde opinião, é um dos mais interessantes trabalhos do Clamp, ainda que a parte mais interessante esteja mais nas entrelinhas. E é uma boa história de ficção científica. E que nos faz pensar.

Mas vamos lá a um conceito básico, de saída: o que é ficção científica (vulgo FC), afinal? A definição mais clara e fácil de se entender é: "uma verdade ou teoria da ciência e como ela influi uma sociedade ou indivíduos". Ou seja, como isso muda a vida das pessoas. No caso de Chobits, a parte ciência da história é no campo da robótica, que nos leva a dilemas que lembram os tratados pelo mestre Isaac Asimov, mas que diferem bastante da abordagem dele.

Vamos a um rápido resumo: num futuro não muito distante (e não muito mesmo, de certa forma) a evolução da informática levou a fusão dos computadores pessoais com a robótica, e o surgimento dos persocons (abreviatura de personal computer). Um japa maluco (e que era mesmo, vejam Angelic Layer pra saber quem) teve a brilhante idéia de criar andróides, similares aos seres humanos, que além das funções de um PC normal como usar a internet pra baixar putaria, também podem fazer trabalhos físicos como arrumar a casa ou ajudar no comércio...ou simplesmente ir na padaria pegar o pão pro café da manhã...

Boy meets Girl. With a twist.
Entra em cena nosso herói, Hideki. Um rapaz simples e gente fina do interior que vem para a capital pra tentar o vestibular. Vivendo na capital e tendo que arcar com os custos de morar sozinho e estudar, ele não tem grana sobrando pra comprar um Persocom. Mas é quando ele acha a Chi no lixo. 

Além de ser uma graça, Chi também é um mistério. Quando é ligada, não fala nada além de "Chi" (e o Hideki usou o método Pokémon pra dar um nome pra ela). Parece estar formatada, sem saber fazer praticamente nada. Mas em compensação ela consegue aprender por si só, tanto ao imitar as ações de Hideki quanto com as lições dele.

Se parar pra pensar, essas duas seriam Smartphones?
Numa primeira olhada, Chobits parece aquela clássica comédia romântica: rapaz meio bobo mas legal, uma quase-namorada que veio vai lá se saber daonde, e as situações em volta disso. Mas quem conhece o Clamp, sabe que, na maioria das vezes, nem tudo o que parece é...

Se tem uma coisa que as quatro tias de Kansai sabem fazer, é colocar mensagens subentendidas em suas obras, sem pudores nem medos. No caso, sobre a possibilidade da criação de inteligências artificiais quase no nível humano. Mas ao contrário de outras obras, o nível das AI ainda não é a perfeição capaz de emular completamente uma mente humana. E nisso entram os sentimentos. Freya explica para Hideki no mangá que Chi seria "incapaz de sentimentos reais". Porém, já que ela disse isso no meio do teste para ver se Hideki era "a pessoa só para a Chi", não dá pra se ter certeza se ela falava a verdade ou não.

Mas antes de se chegar a esse ponto da história, aparecem várias situações em que Hideki nota que os seres humanos preferem conviver com máquinas em vez de outras pessoas; tem uma parte que fica claro isso em que ele nota, na rua, que não há humanos andando com outros humanos, mas sim com Persocons. Nota-se que as pessoas começaram a preferir a conveniência de uma máquina do que outra criatura tão errática quanto si mesmos.

Trágico...
Há mais de uma situação em que há o conflito entre as relações entre a sociedade e os relacionamentos humano - Persocom. Quando houve aquela notícia do cara que casou com sua personagem do Love Plus, a primeira coisa que pensei foi na parte do Ueda, que casou com uma Persocom, que no final terminou de forma trágica (se bem que a coisa melhora depois). Ali percebemos o que poderia talvez esperar Hideki e Chi, e cai a ficha de que talvez, essa história romântica pudesse não terminar bem.

Mas terminou muito bem, ainda que não seja a forma que alguns "c* ardido" tenham gostado...

No clímax, Hideki é testado por Freya, a consciência da "irmã gêmea" de Chi, que habita o corpo dela.


"Quem é a pessoa especial do Hideki?"

Ah, qualé, a resposta que ele deu foi óbvia...


Hideki é sincero, e diz claramente que quer ficar com ela, independente dela ser humana, Persocom, ou seja lá o que for. Simples assim.

É aí que ela pergunta: "então, se você ama a Chi, você sente desejo pela Chi?"

É aí que Hideki se toca que era Freya, e não Chi que estava ali. Ela diz estar ali para explicar algo que ele precisava saber, se ele amava Chi. Hideki diz que não se importava com o que quer que fosse, e é aí que ela pergunta se, justamente por amá-la, ele a desejava. Sim, DESSA FORMA que vocês pensaram!

Freya explica que, se eles consumarem esse amor, Chi se perderá. Suas memórias, personalidade, tudo dela  seria formatado e reinicializado, que nem no começo. E tudo que bastava para isso era pressionar o botão de reinicialização dela. Adivinhem AONDE fica esse botão?


Hideki indaga se a série Chobits (ou seja, Chi e Freya) teriam realmente sentimentos, por serem uma série especial de Persocons. Freya diz que isso provavelmente seria uma lenda urbana. Elas não eram tão diferentes dos demais Persocons. Se eles tivessem sentimentos, seriam considerados seres sencientes, formas de vida. Se fossem assim, seriam similares aos humanos, e não seria um "pecado" amá-los.

Ela pergunta a Hideki se ainda assim ele gosta da Chi. E é claro que ele diz que sim.



Ele deixa claro que não se apaixonou pela Chi por ter desejo por ela, mas por amá-la, e nada mais do que isso. E não vai parar de amá-la simplesmente por não poder fazer AQUILO com ela. 


Simples assim.

Não sei a razão pra que ALGUNS se revoltaram por isso, sabendo muito bem como é o Clamp. Afinal, uma das diretrizes delas é que "o amor transcende QUALQUER barreira, seja de gênero, idade, ou mesmo espécies". E outra de que "NADA pode impedir alguém de amar", ainda que possam existir barreiras para que haja um "final feliz". No caso de Hideki e Chi, a conclusão foi a melhor possível pra eles. Considerando o que acontece com outros casais em outras obras do Clamp, foi um final MUITO feliz!

Mas ainda tem um ponto interessante que queria falar. O ponto que trás a diferença maior com os robôs de Asimov fica nas entrelinhas quando, no final do mangá, Hideki pergunta a Chitose por quê os Persocons não são chamados de "robôs".


Ela responde "Meu marido não queria que elas ficassem limitadas pelas Três Leis da Robótica".

As leis em questão, criadas por Isaac Asimov, são estas:


Primeira Lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal.
Segunda Lei: Um robô deve obedecer as ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.
Terceira Lei: Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e/ou a Segunda Lei.


As Três Leis da Robótica foram uma sacada genial de Asimov para seus contos, e uma sacada tão boa que são algo que PODE ser aproveitado na robótica. O Bom Doutor as criou como uma forma de que seus robôs pudessem discernir entre Bem e Mal e ao mesmo tempo, impedir que eles se rebelassem contra os humanos. Os contos de Asimov geralmente envolvem situações envolvendo essas Leis, e esses conflitos (muitos deles chamados de "dilemas insolúveis", em que há situações em que as Leis conflitam entre si de forma sem escapatória)são o que tornam uma leitura obrigatória em FC, tipo Tolkien pra fantasia.

Por outro lado em Chobits, mesmo tendo o discernimento entre Bem e Mal, como vantagem, as Três Leis seriam um grilhão pesado para os Persocons, o que ia totalmente contra o que Mihara queria para eles. Visto que as Leis são interpretadas LITERALMENTE, da mesma forma que linhas de código (por mais avançadas que sejam), a parte de "causar mal a um ser humano" por si já é uma complicação, pois até mesmo uma mágoa PODE ser considerada "causar mal". Tem um conto do Asimov mesmo em que um robô se frita sozinho por não poder responder uma pergunta que magoaria uma de duas pessoas.

O fato de que os sentimentos podem causar dor era algo que os Persocons deveriam aprender e assimilar como algo natural, para que ficassem mais próximos dos humanos. Com a escravidão que as Três Leis os submeteriam, seria improvável que eles se desenvolvessem com a visão que Mihara tinha. E notem que as coisas ficam em aberto quanto ao futuro dos Persocons e sua evolução (ou não.) 


Tem gente que comenta que "não precisava de ter fanservice" em Chobits. Claro que esse pessoal está mais do que errado. Primeiro, o Clamp se originou como um Circle de doujinshi, e por isso elas (ainda mais por serem o MOTHERFUCKING CLAMP, PORRA) fazem as histórias como der na telha. E segundo, como a série tem a premissa de ser uma comédia romântica que saiu na Young Magazine (para jovens adultos), qual o problema em um pouquinho disso, eh?

Teve o caso de um certo autor de fanfics, que é razoavelmente conhecido por aí (ainda mais por ser motivo de piada), que ficou muito putinho por Chobits ter saído do "canon" pessoal que ele mesmo pôs em seus fanfics. Dizem que depois disso ele virou um pastor que prega que "moe é o SATANÁS" e o K7 a 4. Não me admira tudo que ele tocar redundar em fracasso...ele que se rale na lomba^^

Mas de modo geral, Chobits é uma história leve de FC, que pode ser bem apreciada como uma dessas ou não. Segue a fórmula de escrita do Clamp, e a arte é esmerada, como sempre. Quem sabe no futuro a JBC não faz uma republicação do mangá?

Se bem que a mensagem principal de Chobits tem que ficar na mente: com a evolução da tecnologia, cada vez mais atraente, as pessoas estão evitando inconscientemente o contato umas com as outras. Esse recado presente em Chobits, que neste mês completará 10 anos do fim de sua publicação, está assustadoramente atual. Acho que vale a pena se lembrar disso de vez em quando...


E disso também! ;P


E semana próxima: um post fazendo um balanço geral do #ClampDayR2.
E um spoiler: IT'S FULL OF WIN!!!


quarta-feira, outubro 31, 2012

Halloween 2012: O #ClampDayR2 tá chegando!


Sei que ando vadiando, mas sem a postagem de Halloween não dá, né?

Pois bem, não custa dar os recados da paróquia, sendo que o principal deles é que o #ClampDayR2 é semana que vem nos dias 10 e 11 de novembro. A escolha de dois dias foi simplesmente pra ficar mais fácil do pessoal preparar alguma coisa. E sim, eu pelo menos farei mais de um post. Do que falarei? Esperem pra saber...e vocês sabem que vem coisa boa.

Mas pelo menos uma coisa que me perguntaram eu vou ter que responder (se já não fiz isso antes): escolhi novembro por ter sido o mês que foi lançado o mangá de  Magic Knight Rayearth, em 1993. Rayearth foi muito importante pra nós aqui no Brasil por ter sido o primeiro contato com Clamp que tivemos. Bom, pelo menos para a minha geração, que conseguiu ver o anime aos solavancos em 1994. Mas foi algo que pesou, ainda que algumas míseras gramas, para aquele tempo depois do furacão que foi CDZ.

Por isso, para a massa otaku brasileira que surgiu a partir dessa geração em especial, o Clamp tem talvez MAIS importância do que Tezuka (sem desmerecer o Deus do Mangá, claro) pela influência direta que teve  para essa geração. A seguinte foi com Sakura, claro, mas Rayearth foi o primeiro contato.  Não gostei da forma que foi o dia anterior cujo principal erro foi ser feito num meio de semana, onde o pessoal tá trabalhando e/ou estudando, sem tempo pra isso. Por isso, meio que sei lá como, eu resolvi tentar arrumar as coisas. e cá estamos nós.

Não custa lembrar de se dar uma olhada aqui na página do Facebook! E a partir do fim de semana, o nobumami será uma das bases do evento, com um post centralizando as coisas do #ClampDayR2

Mas...uma Edição Definitiva de Rayearth no ano que vem também cairia muito, mas MUITO bem...
Você não acha o mesmo, meu chapa Cássius Medauar? (^^)


De resto, sem mais grandes comentários...vou deixar mais comentários aleatórios e rants pra depois. E como o Halloween também é dia do aniversário da Rachel Alucard, fiquem com isto:

 

E como não tenho mordomo nem maid, vou lá eu mesmo pegar um chá. Happy Halloween!


sexta-feira, outubro 05, 2012

Hopeless Masquerade: O Novo Touhou de Porrada!


 A especulação acabou! A Tasofro revelou um novo game de luta de Touhou, com a supervisão do ZUN. O nome oficial do episódio 13.5 é Touhou Shinkirou: Hopeless Masquerade. Mais uma vez o pau vai fechar em Gensokyo, e tudo indica uma guerra santa! Pelo menos, é o que o texto introdutório revela:

The terror of the repeating disasters and the irresistible catastrophes.
They have delivered pessimism to the human village. 

A gloomy atmosphere is swirling the village.
However that was not a feeling of despair.
It was more like a feeling of being cooped up. 

"It's okay!"

Nobody knew who said it, but there is a feeling you could hear such voice.
Yes, if nothing was going to change, maybe isn't it okay to do anything we want to do?
Yes, we should live more ephemerally.
Little by little the minds of humans in the village have become released free, and at the same they began to disorder. 

There were ones viewing the scene from a different perspective: It was the religionists.
They thought they should take over the control of the people who fell into disorder.
Because while they can retrieve the order, it was also a great opportunity to collect their faith at the same time. 

The precise who have built a temple in Gensokyo, the Taoist who abandon the material world and dreams immorality.
And the shrine maiden who seeks rehabilitation.
They have all determined: this is just the right timing for "my role". 

Now, take your belief as weapons, battle attractively and fight over your popularity!


  A partir daí dá pra especular que, teremos enfim o quebra-pau entre as religiões tão esperado. A bem da verdade, já se tinha a suspeita de que o ZUN ia botar as crenças de Gensokyo umas contra as outras desde Mountain of Faith (quando Sanae & cia. chegaram com uma nova fé Xintoísta), depois foi em Undefined Fantastic Object (com Byakuren trazendo o Budismo de volta ao estabelecer um templo) e recentemente em Ten Desires (onde o Taoísmo retorna). Não dá pra se descartar o livro de referência /artbook Symposium of Post-Mysticism. onde Marisa serve de mediadora de um debate religioso entre Kanako (Xintoísmo), Byakuren (Budismo) e Toyosatomimi (Taoísmo). Tá muito na cara a intenção do nosso bebedor de cerveja favorito de fazer o chinelo cantar na bunda alheia!

Até agora, só temos três fotos, mas que dizem um monte sobre o novo game:


O Facão da Reimu continua!


O combate aéreo também! 


Essa vassourada da Marisa é novidade pra mim...

Mas tem uma pá de coisa que notei com as imagens. E tome lista:

- A resolução nativa do game é em 1280 x 720. Basta clicar nas imagens pra notar.
- Tem elementos 3D no cenário. Notem o templo no fundo.
- Tem um timer, até que enfim. Adeus, lutas de 20 minutos, já vão tarde!
- O chara design ainda é do alphes, mas os personagens in-game foram redesenhados pra aproveitar a resolução HD. Os sprites não são mais chibi, e estão mais próximos das proporções das ilustrações dele, que fez todas as artes de personagens dos outros três games de luta de Touhou.
- Barra de energia multicolorida. Seria o retorno da ativação de Spellcard de IaMP? Ou será só uma barra de energia com múltiplas camadas, como Vampire Savior e Killer Instinct?
- Uma barra circular em torno da foto do personagem, dividida em três. Lembra o sistema Emotion de Aquapazza de vista, mas pra que servirá? Nele há as palavras "Sim", "Não" e "Indeciso", cada uma com uma cor. Mas se refere a quê? E no que isso influirá?
- Um valor de porcentagem embaixo da barra de energia. Sera que tem alguma relação com a barra circular? Se for assim, parece pesquisa de intenção de votos...
-As barras inferiores são personalizadas, com o nome da personagem, tem um layout pra Reimu e outro pra Marisa. E a barra da bruxa é menor do que a da miko. Ainda pela barra da Marisa, há três estrelas, em cor cinza. Se fizermos analogia com Street Fighter 3, será que os Spellcards agora são como os Super Arts, selecionados antes da luta e com barras de tamanho próprio? Ou só um erro gráfico mesmo?

Fora o fato de que Reimu e Marisa estão de volta, é provável que pelo menos personagens envolvidos com as religiões de Gensokyo estejam no game. Ou seja, Sanae é praticamente certa, e provavelmente pelo menos Byakuren e Toyosatomimi são bem prováveis, por serem as líderes de suas crenças, sem contar a eremita Kasen, do mangá Wild and Horned Hermit. Claro que é só especulação baseada no que se sabe do enredo, não é garantida a presença delas até o momento. Como os sprites estão sendo refeitos, não há garantias de que todo o cast de Hisoutensoku retorne, mas há boas chances. e nada descarta personagens que não tenham nada a ver com a bagaça (foi sugerido certa vez que Wriggle, Kaguya e Mokou quase entraram em SWR). Só depende do pinguço do ZUN! 

Se bem que ele poderia compor a OST com o pessoal do CROW'S CLAW...


Não tem uma data fixa pro lançamento de Hopeless Masquerade, mas tudo indica que vai ser durante o Comiket de inverno. Pode ser antes, pode ser depois...quem sabe?

quinta-feira, outubro 04, 2012

Captain Power: O Pioneiro do Tokusatsu Gringo Retornará!



OK, a maioria de vocês deve estar perguntando quem é esse porra enlatado aí, certo?

Well, há 25 anos atrás, a Mattel lançou Captain Power and the Soldiers of the Future,  uma série live-action pra vender brinquedo, na prática um tokusatsu americano. Mas, diferentemente das bizarrices que o Saban tentou emplacar fora os Power Rangers, Captain Power era FODA! Só que o que fazia toda a diferença é que Gary Goddard, o criador da série, catou roteiristas de calibre como J. Michael Straczynski (criador de Babylon 5, cujo pecado na vida foi fazer do Homem-Aranha um corno), Larry DiTillo (Transformers Beast Wars), Michael Reaves (Gargoyles da Disney, mais o primeiro desenho do Bátima e o roteiro do episódio final de Caverna do Dragão ) e mais alguns. O resultado é que eles transformaram a bagaça em algo que dava pra se assistir e gostar. Foi uma série mais madura do que o normal pra época, e uma das pioneiras no uso de CG, com inimigos feitos dessa forma, que hoje podem ser feitos em casa em menos de meia hora, mas pra época era o ó do borogodó. Chegou a passar aqui, e uns tiozões aí talvez se lembrem.

Mas as vendas dos brinquedos não pagaram a produção, as Associações de Donas-de-Casa Mal-Comidas reclamaram da "violência" (gente sendo "digitalizada", aka desintegrada) e muitos dos adultos tinham vergonha de assistir (naquele tempo, um adulto admitir que gostava de desenhos era suicídio social). Isso fez a Mattel fechar a torneira da verba e Captain Power foi cancelado com só 22 episódios. Mas o aniversário da série trouxe boas notícias para os fãs na forma de um re-tool. Claro que o relançamento da série original completa em um DVD Box ano passado e um CD da trilha sonora há pouco tempo, já se tinha algumas suspeitas quanto a isso.





Segundo o novo time criativo, a tecnologia de agora está se tornando tão presente quanto no seriado; afinal,  já estão falando de colocar chips nas pessoas pra usar como cartão de crédito por aí, né? E por isso, o roteiro da nova série Phoenix Rising vai servir pra contar como começou a guerra entre homens e máquinas que rola na série original.



Ah, claro...essa série vai se chamar Phoenix Rising pra mandar a Mattel tonar no cu não usando o nome original em referência ao emblema que serve para as transformações dos personagens. E mata o problema do nome de seriado infantil do passado ao mesmo tempo. Os roteiristas principais da nova versão serão o casal Judith e Garfield Reeves-Steven (temporada final de Star Trek Enterprise, e o Primeval canadense ), em formato de episódios semanais de uma hora de duração. Sim, é uma série nova. E é algo pra se esperar pra ver, pois mais detalhes estão a caminho.


E como uma curiosidade extra: um dos brinquedos da série era o Captain Power Future Force Training. Era uma nave que vinha com três fitas de vídeo. Esses vídeos começavam com uma intro e final em live action, mas o meio era em anime. Qual era a moral? A nave tinha um raio de luz na ponta (que nem as pistolas do Nintendo 8-bits), e manobrando a nave durante o vídeo era um tipo de videogame...bizarro pra cacete.

É melhor que vejam essa porra por si mesmos:


Sim, é em anime; foi feito pelo estúdio Artmic...que vocês hoje conhecem como AIC. E isso serve pra marcar os cinco dedos na cara dos otaCÚs que estiverem se queixando de eu estar falando de seriado americano aqui...ei, eu falo daquilo que É FODA aqui, independente do que seja, que fique bem claro! Bem...se o re-tool der certo, pelo menos eles vão ter como fazer games BEM mais decentes. Se souberem escolher os caras certos pra missão, claro...^^;

E se pararmos pra pensar, foi O pioneiro dos tokusatsus originais americanos, precedendo e muito o ótimo (por mais que alguns ToCÚfans insistam que não) Power Rangers RPM. Vale ficar de olho!


terça-feira, setembro 04, 2012

Corrente De Reviews: Puni Puni Poemi - É Nabeshin Aloprando, Baby!!!


Sim, eu também faço parte desta farofa! Também entrei no "amigo secreto" da Corrente de Reviews...e como SEMPRE aconteceu comigo em todo amigo secreto que entrei, é claro que me ferrei. Um dia tu vai levar o troco, Diogo Prado, vulgo Sr. Anikenkai...de alguma forma, ainda que demore...WHAHAHA!!!

Mas a idéia foi sensacional; um blogueiro indicando um anime para outro, geralmente sendo um que o indicado não assistiria em condições normais. Deu pra ver reviews curiosos e até mesmo alguns REALMENTE se f*dendo com suas indicações. Eu até que me dei bem, de certa forma. Confesso que fiquei putasso pela indicação, pois foi um anime que quando vi na época que saiu (em 2001) eu não gostei. Sei lá, mas simplesmente não simpatizei. E mesmo agora, pode ser que eu tenha aceitado ele melhor, mas simplesmente não me marcou. Ele tem coisas bem interessantes pra se notar, mas no geral ele tem um sério problema de não ser fácil de se indicar para alguém. E vou explicar o porquê disso a seguir.

No caso, foi Puni Puni Poemi que caiu na minha mão, mais uma vez. E claro, tinha que ser algo do louco do Watanabe Shinichiro, vulgo Nabeshin. OK, mas quem é esse porra?

Esse aí é o porra do Nabeshin. O cara que literalmente inventou os animes de comédia insana como conhecemos hoje. E não, não é cosplay, ele gosta de se vestir assim mesmo. Faz todo o sentido, mesmo que não faça...

Bem, se a imagem lá em cima não deu uma pista, EM TESE esse seria um anime de Mahou Shoujo. É, entendo que os guris do Troca Equivalente talvez tenham me jogado esse anime já que eu tenho certa experiência no assunto "desconstrução de garotas mágicas", já tendo tocado nisso uma, ou duas, ou mesmo três vezes por aqui. Mas apesar de no fim do anime ter uma crítica clara a um aspecto da cultura otaku, não há uma desconstrução propriamente dita. Ao contrario do que um certo pilantra falastrão disse por aí (pra ser mais claro, o hipster filha da puta do Lancaster), isso foi feito não com a função de criticar, mas de fazer piada pura. Nabeshin gosta de aloprar, e tirar onda com uma parcela do público otaku foi mais um mecanismo pra isso. Não é nada que ele já não tenha feito em seu trabalho anterior a este, a versão em anime de Excel Saga.

E falando em Excel Saga, Puni Puni Poemi era meio que uma piada interna do staff do anime, depois virou um "anime dentro do anime" como Kujibiki Unbalance era em Genshinken, por exemplo. E da mesma forma que este último, virou algo real nesse OVA em duas partes.

Kobayas...Poemi, você é só uma menina, não pode falar palavrão!

A alopração já começa com a nossa protagonista, Poemi Watanabe, que chama a si mesmo de Kobayashi, fazendo referência a sua própria dubladora. E a demente quer ela mesma ser dubladora...

Sério, apenas deixem eu fazer o review, NÃO TEM como eu explicar essa cachaça e fazer algum sentido inteligível ou que faça qualquer outro tipo de sentido...

Pois bem, essa guria é filha do Nabeshin (que, da mesma forma que em Excel Saga, TAMBÉM é um personagem desse anime) e duma outra louca lá, e eles vivem num barraco numa praia. Aí chega um ET escroto com bagos de boleadeira e mata a família dela, enquanto ela tava indo pro colégio. E lá no colégio, quem espera pela Poemi...


CERTAS conhecidas minhas aprovam isso...^^

...é a versão Unlimited da Tomoyo (ou da Erika/Cure Marine), a Futaba. Essa aí é ilimitada porquê ela não fica no innuendo, ela é direta como um trem nos trilhos que não seja o DenLiner. A Poemi é a Mahou Shoujo, mas é ela que quer "fazer a mágica" nela...

 Então, sem pai nem mãe nem uns ferrinhos no bolso, e como ela não tem atrativos nem talento para a prostituição (lolis ainda não eram tão populares assim que nem hoje), Poemi é levada pela Futaba pra casa dela, pra morar com as irmãs despirocadas dela.

 Aliás, eu acho que não falei nisso, mas essa peste da Poemi parece ter sido amamentada com café expresso plantado em Chernobyl, pois a desgraçada NÃO FICA QUIETA UM SEGUNDO! Não faço idéia do que a dubladora dela tomou pra fazer esse papel, mas duvido que a PF deixasse isso passar na alfândega daqui...

Aí acontecem mais umas porras aqui e acolá...e mais...Wibbly Wobbly Timey Whimey...Stuff. E...



Não é o que parece...


Eu disse...e isso aí é o morfador dela.

A esta altura você deve ter se acostumado com a escrotidão, não reclame!

Tá, pulando os detalhes (pois piadas não tem graça quando explicadas), depois que ela consegue o poder de morfar em Mahou Shoujo ela começa a fazer MUITA merda por aí...

Já sentiram o nível da merda agora?
E só pra constar, uma lição para a vida:

Faça isso de noite, seu onanista!

Nunca se esqueçam, OK?

Mas se bem que se tem a versão genérica da Tomoyo, putaria tem de sobra:

Que sem-vergonhice! Mas gosto da sua sinceridade, Futaba...


Bem, mentes tortas tem em todo lugar nesse puteiro mesmo...

RAIDAAA...ROCKETTO DORIRU KIIIIIICKU!!!
Ah, isso com certeza absoluta! Tomem em cheio, seus leite-com-pêra!

Não tenho muito pra falar do final do OVA, mas eis a parte que "acham" que é desconstrução.
Protip: não é.

Intelectual? Só se for a louca de óculos ali em cima...

E isso dito pela versão shota do Matou Shinji não é grande coisa mesmo...só o texto engana um pouco, mas com as imagens não dá pra levar a sério. Bem, é o Nabeshin, não dá pra levar a sério...

...ainda mais que ele mostra que NÃO morreu logo depois disso...

É, não consigo explicar essa bagaça. Não se explica piada, eu já disse!


Taka! Tora! Batta! TaToBa! TATOBA, TA-TO-BA!!!

Em suma, entrei na onda da série e não quis comentar muito. É uma FUCKING COMÉDIA, não é pra fazer pensar em algo, é pra fazer você se MIJAR DE RIR! É difícil de fazer um review de algo sem dar os spoilers, mas tem uma coisa que posso deixar bem clara sobre Puni Puni Poemi: da mesma forma que Excel Saga, o humor da série é frenético demais, e é bem provável que não seja do gosto de todos. Eu fui um pouco mais receptivo pra esse OVA agora em comparação com anos atrás. Mas, mesmo gostando desse tipo de comédia insana, no meu caso Poemi não deu. Dei umas boas risadas, mas ainda assim achei que ele foi meio que sem freio demais. 

Porém, acho até que posso recomendar pra quem tiver a fim, mas aviso que você precisa ter muito boa vontade com esse humor aloprado, coisa que muitos não estão acostumados. Se tiver, beleza. Vai firme que a diversão vai valer a pena. Vale a máxima que faz do nobumami o tipo de blog que eu quero que seja: com leitores que formem as suas próprias opiniões, com base em suas próprias conclusões. Eu apresento o meu ponto de vista, mas o de vocês é próprio de vocês, certo?

Mas o melhor momento do anime é sem dúvida quando a Poemi mata a mongolóide da Sailor Moon! 
CHUPEM, MOONIES MALDITOS! WHAHAHAHAHA!!!!


Essa brincadeira até que foi divertida...mas vai ficar mais agora, que é a MINHA VEZ de indicar o próximo blog a avaliar a minha indicação. Bem, como não conheço a gurizada do próximo da lista, então não tem razão de judiar deles. É uma pena, mas vou ter que ser bonzinho desta vez ...


Agora  a bola tá com vocês, pessoal do Blog Anime Idéia! E a missão que eu lhes darei será...Pegar Carona Em Uma Estrela Cadente! Allons-y!


Não, não vou botar música da Poemi! Assistam o anime, pô!


quinta-feira, agosto 30, 2012

Street Fighter: 1/4 de Século de Boa Porradaria!


Street Fighter marcou a minha geração e as seguintes. Isso é fato. Eu mesmo posso dizer que, muito do que sou deve-se a SF. Foi graças a SF que fiz muitos amigos, e interesses relacionados vieram com ele.  Mas isso não é sobre a minha vida, e sim sobre o que SF representa para a cultura pop. Na verdade, representa MUITA coisa...

Não foi apenas dar o caminho a ser seguido para os games de luta, mas Street Fighter foi e ainda é um ícone cuja influência na indústria de games se nota até hoje. Referências a SF são quase que imediatamente reconhecidas no momento que são vistas ou mesmo citadas; se eu falar em Hadouken ou Shoryuken, muita gente vai mentalizar esses golpes de primeira. Street Fighter já é tão enraizado na cultura geek que é algo natural. Como o pão com manteiga.

Admita, você pelo menos PENSOU no nome do golpe agora!

A data de 30 de agosto de 1987 marcou o lançamento de Street Fighter 1 que, a bem da verdade, é uma merda atômica e tanto. Mas, da mesma forma que Mega Man, eles acertaram a mão na segunda versão, The World Warrior. Foi a partir desse ponto, com as mudanças que SF2 trouxe pros games de luta (que antes eram como Karate Champ), que o gênero pegou as bases do que existe hoje. Agora, mesmo com a (DL)Capcom tentando ferrar tudo (ainda bem que temos o Yoshinori Ono lá pra nos salvar...do jeito que dá), Street Fighter continua firme. E com o suporte dos fãs, tem tudo pra se manter na ativa por bastante tempo (mesmo que a DLCapcom tente estragar as coisas...)

O afeto dos fãs é mais forte que qualquer corporação mercenária. Fato!
O que interessa é que devo muito do que sou hoje a Street Fighter. Com ele tive forças manter meu lado geek durante a juventude, e todos sabemos que isso é uma coisa boa, né? Não tem como negar a influência que ele teve na minha geração e nas demais. Meus parabéns a Ryu, Ken e todos os demais!

E já que no dia seguinte, 31 de agosto, é aniversário de cinco anos da Miku, vamos emendar com isto:




Se quiserem OUTRO tipo de remix, que tal então do fodástico album Street Fighter Tribute?


                                                   



Claro que também os fan remixes são sempre do caralho, este que o diga:




E pra fechar, o tema fodão que marcou o retorno de um longo sono...




Enfim...parabéns, Street Fighter! Shinkuuu...HADOOOOOOUKEN!!!



domingo, agosto 12, 2012

Dez Anos de The Embodiment of Scarlet Devil! E...



No momento que começou o Comiket 82, fez exatos 10 anos do lançamento de The Embodiment of Scarlet Devil. Sim, faz todo esse tempo que saiu o primeiro game de Touhou pra Windows, no dia 11 de agosto de 2002, durante o Comiket 62. Apesar de, comparado com os games mais recentes da série ele ter ficado bem datado, ele é algo como Street Fighter 2 - The World Warrior: apesar de atualmente não ser lá tão bom quanto na época, ele foi um marco no seu gênero por sair da obscuridade de suas versões anteriores (no caso de Touhou 1~5, no NEC PC-98. ). E foi o ponto de partida pra uma fanbase que atualmente é tema da maioria esmagadora dos circles no Comiket.

Mas em minha opinião, um dos maiores méritos do Touhou Project foi mesmo essa inspiração. Não apenas em doujinshi, mas em outras produções independentes, especialmente games. Fangames de Touhou existem em quantidades imensas, claro. Mas também provou que muitos desenvolvedores independentes podiam fazer bonito; vale lembrar que ZUN criou todos os games da série sozinho (exceto os de luta). E na rabeira veio gente como o pessoal da TYPE-MOON (Tsukihime, Fate), 07Expansion (Higurashi, Umineko) e outros mais. EoSD mostrou que era possível fazer bonito sem ser pau mandado duma Capcom da vida.

Por isso, é algo a se comemorar, mesmo que não se seja fã de Touhou, pois EoSD mostrou a força da produção independente. Claro que a musical inclusa:


Parabéns, Touhou Fandom...por mais merda que volta e meia façam...


...e que volta e meia também mereçam levar um tufo nos cornos...;P


Por falar em palhaço, o #ClampDayR2 tá chegando, lembram?