domingo, novembro 21, 2010

Hatsune Miku: O Pai do Cyberpunk e...A Conquista do Mundo!



Ela, até que enfim, conquistou o mundo...ou deu o primeiro passo, pelo menos; agora a mais popular das Vocaloids vai ganhar uma versão em inglês. Durante um evento nos EUA, os criadores de Miku, Hiroyuki Ito e Wataru Sasaki, anunciaram uma campanha no perfil da Miku no Facebook: se exatas 39,390 pessoas curtissem o profile dela, uma versão em inglês do programa seria feita. Esse número estranho é um trocadilho em japonês: 39 = Miku, 390 = sankyu/thank you. Como um número desses era brincadeira de criança pra ela alcançar, a campanha nada mais foi do que uma formalidade para confirmar a verão em inglês do programa.

Na verdade, já se fala faz muito tempo da possibilidade de uma versão em inglês da Miku. Mas agora deve ser talvez o melhor momento pra tal, já que a populalidade dela está muito em alta mundo afora; aquele show com um avatar holgráfico dela (esta aqui é uma das performances) foi destaque na imprensa mundo afora, até mesmo aqui no Brasil (nota: já teve algo assim numa edição do VMA da MTV com o Gorillaz, mas com Miku e cia foi um show inteiro; passem a tarde no Youtube pra ver...^^). Só tem que se ter em mente que grande parte do sucesso de Miku provém da força criativa da sua comunidade de usuários ao invés de uma empresa como Crypton, Yamaha ou Sega (bem, se ela dependesse da Sega, ela tava lascada mesmo...). Afinal, ela não é apenas uma Virtual Idol, mas uma ferramenta criativa, como um instrumento musical.


A ascenção de uma Virtual Idol não passou despercebida nem pelo homem que idealizou o conceito; William Gibson, autor do livro Neuromancer (leitura mais do que recomendada) e o pai do gênero Cyberpunk (que inspirou filmes como Blade Runner), por meio do Twitter mencionou inicialmente que ela não lhe despertava muito o interesse, e dizendo que ele queria maior "rez"(quem leu Idoru vai entender) e menos anime. Mais tarde, ele deu outro tweet mencionando que ela era "um fenômeno mais complexo do que pensava" e que "necessitava estudar mais a respeito". Talvez ele tenha dado a primeira opinião antes de saber muito sobre Miku, e depois da repercussão do primeiro tweet ele tenha resolvido pesquisar um pouco mais.

Vale citar que o CEO da Crypton, Hiroyuki Ito, é fã de William Gibson (dizem que viram ele com uma camiseta de Neuromancer durante um evento em San Francisco). Ele mencionou que leu Neuromancer já faz 20 anos, e que é um saco que o mundo já esteja no futuro citado no livro de Gibson, mas que não "correspondeu ao hype" (ou melhor, não estamos com a tecnologia tão avançada como no livro).

É bem um motivo de orgulho ser citado por alguém que fez tanta influência na cultura moderna como William Gibson. Recomendo a leitura de Idoru, romance que conta a história de uma Idol holográfica pra entender bem como Miku se encaixa no que Gibson descreveu; na verdade recomendo tanto a trilogia Sprawl (da qual Neuromancer faz parte) como da trilogia Bridge (da qual Idoru é parte). E é bem provável que agora, com um release pra fora do Japão, que a popularidade de Miku passe da estratosfera, entre a parcela "não-otaku" da humanidade. Tudo depende da criatividade do usuário como sempre...

Tanto faz, agora Miku vem na frente...e suas irmãs logo atrás, quem sabe? ALL HAIL HATSUNE MIKU!!!
  

Nenhum comentário: